Renan Pivetta - Osteopatia Indaiatuba / Artigos  / Síndrome do desfiladeiro torácico

Síndrome do desfiladeiro torácico

O desfiladeiro torácico é a região que se situa na abertura superior do tórax, entre o pescoço e o ombro, até a região da axila. Nessa área encontramos estruturas neurovasculares que atravessam estruturas miofasciais e ósseas. Conhecemos três desfiladeiros: ⁣

1 – Interescalênico: composto pelos escalenos médio (posteriormente) e anterior (anteriormente) e inferiormente a primeira costela. Por ele atravessam a artéria subclávia e o plexo braquial. ⁣

2 – Costo-clavicular: composto superiormente pela face inferior da clavícula e inferiormente pela primeira costela e músculo subclávio. Por ele atravessam a artéria e veia subclávia e o plexo braquial. ⁣
3 – Peitoral menor: composto anteriormente pela face posterior do peitoral menor, superiormente pelo processo coracóide e posteriormente a parede torácica externa. Por ele atravessam a artéria e veia subclávia e o plexo braquial. ⁣

Por essa conformação anatômica e por variações é possível que existam compressões dessas estruturas em sua passagem. Os sintomas característicos desta síndrome são de ordem vascular ou neurogênica, como: formigamentos e alterações de sensibilidade que podem ir desde o pescoço até a mão, sensação de membro pesado, fadiga precoce e perda de força do membro superior, principalmente em atividades acima da cabeça. É possível que exista edema no membro afetado. ⁣

O tratamento osteopático da síndrome do desfiladeiro torácico visa melhorar a complacência dos tecidos e permitir que haja maior liberdade de mobilidade das estruturas ao longo do desfiladeiro. Para isso são utilizadas manobras de manipulação, liberação miofascial, neurodinâmicas e vasculares. Além disso sempre se orienta alguns exercícios diários para controle do quadro. Os resultados em geral são muito bons!⁣