Central de Agendamento 19 3017.3575
19 97408.4101
contato@renanpivetta.com.br
Renan Pivetta Osteopatia Indaiatuba / Artigos  / Osteopatia x Dor lombar

Osteopatia x Dor lombar

Atualmente estima-se que até 85% da população algum dia terá dor lombar, além do mais, a procura por tratamentos aumenta a cada dia, e os ditos como alternativos ou naturais ganham cada vez mais espaço.

Com a Osteopatia não é diferente, ganha cada vez mais destaque quando se fala de dor lombar, seja ela crônica ou aguda. Trata-se de uma metodologia de tratamento que compreende a unidade do corpo humano e seu funcionamento integrado, funcionamento este que depende de uma estrutura corporal harmonizada, para que o sangue possa circular com facilidade e chegar a todos os locais, levando nutrientes e retirando os restos de metabolismo (toxinas). Dessa maneira, o corpo consegue se auto curar caso sofra algum desequilíbrio.

Para compreender a atuação da Osteopatia no tratamento e prevenção da dor lombar precisamos entender alguns pontos básicos:

  • Hipomobilidade e Hipermobilidade compensatória: toda articulação que por algum motivo apresentar uma perda de mobilidade irá gerar uma adaptação em outra articulação para compensar e poderá ficar sobrecarregada e apresentar dores e inflamação.
  • Dor referida: existem diversos músculos, ligamentos e vísceras que quando estão em sofrimento projetam suas dores na região lombar.
  • Características da dor: as dores na região lombar podem ter diferentes origens e um dos principais pontos de uma boa avaliação é determinar qual é o tecido que está gerando essa dor (músculos, ligamentos, articulações, disco intervertebral, nervo ou vísceras, por exemplo). Cada um desses tecidos tem sua característica especifica de dor e isso é muito importante para um tratamento de sucesso.

Objetivos do tratamento

O principal objetivo do osteopata é identificar quais são os locais do corpo que estão criando seu desequilíbrio e a dor lombar. Para isso, utilizam-se testes ortopédicos, neurológicos e osteopáticos que, quando somados à história do paciente, apontam os possíveis “vilões” que geram da quebra de equilíbrio do corpo e as dores e/ou inflamações.

A meta do tratamento é reequilibrar essas regiões com técnicas suaves cujo objetivo final é fazer com que o corpo consiga recuperar a boa biomecânica, restabelecer o tráfego de informações no sistema nervoso e deixar livre a circulação sanguínea. Com essas condições citadas o próprio corpo tem a capacidade de curar-se, na maioria das vezes sem precisar de medicamentos.