Renan Pivetta - Osteopatia Indaiatuba / Artigos  / O pé como captor postural

O pé como captor postural

Você já parou para pensar qual é o motivo do pé possuir tantos ossos, articulações, ligamentos e um refinado sistema muscular?!⁣

Pois bem, existem vários! O pé atua como um ponto fixo do nosso corpo em relação ao chão, por isso ele deve ser altamente adaptável ao terreno, para que possamos nos manter em pé e realizar os deslocamentos necessários. Sendo ele um ponto fixo podemos imaginar que o nosso corpo realiza movimentos oscilatórios a partir desse ponto – pode ser comparado a um pêndulo invertido – ou seja, o corpo oscila e o pé está fixo. Com isso ele se torna muito importante nas questões de estabilidade postural do nosso corpo tanto estática quando dinamicamente.⁣

Propositalmente no início do texto não citei uma mega especializada integração neurológica a qual o pé pertence, ele possui uma riquíssima rede de nervos aferentes em suas mais diversas estruturas (ligamentos, fáscias, tendões etc.). Com isso as informações captadas por esses sensores especializados viajam o tempo até o sistema nervoso central e lá são integradas com as informações que vem de outras vias como o sistema vestibular, os olhos, o sistema estomatognático, as vísceras e outros. Você deve estar se perguntando, “mas o que acontece com isso tudo”?!⁣

Pois bem, essas informações, após analisadas e integradas, resultam em algumas respostas que podem alterar o comportamento de sistemas ativos, principalmente o sistema muscular, recrutando cadeias musculares e programando o seu funcionamento para adequar o corpo em relação à ação da gravidade e desta forma nos manter em pé e equilibrados estática e dinamicamente.

É provável que alterações disfuncionais nesses elementos dos pés, por tensões ou rupturas ligamentares, aderências fasciais, tendinites e/ou outros problemas sejam fontes de desequilíbrio desse grande sistema, colaborando para a aparição de alguns sintomas dolorosos pelo corpo.