Renan Pivetta - Osteopatia Indaiatuba / Artigos  / Neuromodulação da dor e osteopatia

Neuromodulação da dor e osteopatia

As técnicas de terapia manual são eficazes para a neuromodulação da dor em pacientes com problemas musculoesqueléticos. Geralmente as explicações para o efeito das técnicas é biomecânica, pautadas nos ajustes de falhas posicionais.Entretanto, as evidências apontam para um forte componente neurofisiológico atuando nesses casos. Os processos envolvidos podem ocorrer tanto ao nível medular quanto em centros superiores. Basicamente, a partir de um estímulo mecânico, as técnicas de terapia manual causam uma cascata de eventos neurofisiológicos que aumentem a tolerância à dor.

A modulação pode resultar como efeito do mecanismo de comportas, no qual estímulos exteroceptivos e proprioceptivos são responsáveis por ativar interneurônios inibitórios localizados no corno posterior da medula, impedindo que os estímulos nociceptivos passem para níveis superiores e resultem em dor.
Uma outra possibilidade são os efeitos que a terapia manual atinge nos próprios centros superiores, ativando regiões cerebrais que participam do sistema de inibição descendente da dor, resultando também em modulação da dor.

Portanto recomenda-se fortemente considerar esses eventos neurofisiológicos como protagonistas quando se fala em neuromodulação da dor e terapia manual.